ANALISANDO A MATURIDADE

 

 

O que será  a tão falada maturidade?
Vamos descobrir quando a ela chegarmos...
E tem gente que morre sem atingir essa fase cheia
de sabedoria e bom senso...
Ósculos e amplexos,
Marcial

ANALISANDO A MATURIDADE
 Marcial Salaverry

Para podermos analisar a maturidade, temos que saber o que poderá ser a tão indefinida maturidade... Apenas se pode dizer que ela é atingida quando estamos maduros, o que não deixa de ser uma brilhante dedução.  Contudo, é muito difícil definir quando se está maduro, ou seja quando começamos a agir mais movidos pela ponderação do que pelo impulso, e esse tipo de atitude, é que pode demonstrar que estamos a ela chegando...
Em mais uma de suas brilhantes mensagens, L’Inconnu diz o seguinte:
"Maturidade é a arte de viver em paz com aquilo que não podemos modificar."
Sem dúvida alguma, as coisas que realmente não podem ser modificadas, devem ser aceitas, uma vez que nada pode ser feito em contrário..
Sempre é importante saber observar certos limites que nos são impostos, seja pela idade, seja pelas chamadas convenções sociais, seja por algo muito sério, chamado de “lei das probabilidades”. Devemos saber mensurar nossas possibilidades, para analisar até onde podemos chegar, pois tentar superar certas limitações, principalmente físicas, será como 'malhar em ferro frio"...
Quando somos jovens, a tendência é querer "reformar o mundo", mas depois chegamos à conclusão de que o ideal é deixá-lo como ele deveria ser, tentando melhorar o que se pode ser melhorado, e certamente proceder às mudanças possíveis.
Acontece que nem sempre o que achamos que é, é aquilo que deve ser.  Sempre existem duas ou mais versões para os fatos, e a minha verdade, nem sempre é a sua, o que sempre poderá provocar uma  polêmica.
Com a passagem dos anos, a maturidade (fica bem mais bonito do que velhice), nos faz pensar duas vezes antes de tentar modificar algo. 
Ao invés de dizermos assim fica melhor, nos perguntamos primeiramente se é possível modificar a coisa, depois, perguntamos se realmente vale a pena tentar a modificação. 
Isso se chama ponderação, e essa atitude não é covarde, muito pelo contrário, é muito sensata, pois devemos sempre atirar no alvo certo.  E o que nos permite enxergar e acertar nesse alvo é exatamente a experiência adquirida com o tempo. 
Meu pai costumava sempre repetir um velho provérbio (já naquela época era velho), que diz: "o diabo sabe por diabo, mas mais sabe por velho".  Sempre que ouvia isso, eu fazia um muxoxo de pouco caso, pensando: "ele fala isso, só porque já tá cansado."  Aliás, todos os jovens sempre são refratários às opiniões dos mais velhos, considerando-os ultrapassados. Sempre costumam dizer que nossa experiência não serve para eles, e que eles também tem o direito de errar.
Se seus filhos também forem assim, não se incomodem,  pois quando eles chegarem à maturidade vão chegar à mesma conclusão que eu cheguei, e vão dizer "e não é que ele tinha razão"... E aí é que percebemos quantas cabeçadas poderiamos ter evitado, mas que aconteceram por causa de umas quantas besteiras cometidas.
Mas é essa a lei da vida, e é justamente nessas besteiras que se forja a experiência para  a Maturidade. É esse o caminho.  Continuem tentando reformar o mundo. Continuem dando suas cabeçadas. Continuem lutando.  Continuem forjando seu futuro.  Assim, chegarão à maturidade podendo olhar para trás e dizer:  "bem... pelo menos tentei." 
Agora vou tratar de viver e deixar o mundo como ele está.  Os outros que estão chegando que façam sua parte...
Podemos ainda chegar a certas conclusões interessantes sobre como podemos definir o que vem a ser exatamente a tão decantada maturidade, que é o maior desejo de todos os jovens, enquanto para nós nos bastaria ter a experiência de hoje, com a vitalidade dos 20 anos...(não seria má idéia...).
Podemos dizer que atingimos a Maturidade, quando conseguimos resolver divergências sem violência, sem represálias, sabendo manter a serenidade. Sabendo ter paciência para conseguir algum objetivo, mesmo que tenhamos de abrir mão de algo imediato. Também quando conseguimos enfrentar fatos desagradáveis e as decepções da vida sem nos irritarmos,  encarando-os como coisas naturais às quais todos estamos sujeitos.
Principalmente, quando adquirimos a capacidade de reconhecer nossos erros. Aí está o ponto crítico, pois  não é fácil reconhecer que erramos, eis que a tendência natural é sempre encontrar culpados para nossas mancadas, pois algo muito comum é dizer que "os outros erram, nós apenas cometemos ligeiros lapsos..."
Maturidade é, principalmente, saber recuar, mesmo achando que estamos certos, sabendo ver que não é hora de discussão, fazendo um recuo estratégico, até tudo se acalmar, e depois sim, voltar à carga para resolver algo...
Para provar que já estou no ponto ideal de maturidade, só me resta encerrar a discussão, desejando a que todos tenham UM LINDO DIA.
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados