VAMOS BEM USAR A IMAGINAÇÃO

 

 

Nossa imaginação sempre trabalha para nós...
Basta sabermos aproveitá-la...
Osculos e amplexos,
Marcial

VAMOS BEM USAR A IMAGINAÇÃO
Marcial Salaverry

Uma exata e iniludível verdade, diz que com plena e total certeza, nossa vida é movida e motivada pela imaginação.  Desde crianças, sempre nos deixamos levar pelo imaginário, fazendo viagens inacreditáveis, vivendo aventuras incríveis.  Quem entre nós nunca se viu na pele dos heróis de nossa infância?  Não fechou os olhos, e viu-se em meio à floresta africana, como êmulo do Tarzan? Ou em fantásticas aventuras espaciais como “dublê” de Flash Gordon?  Ou então vivendo incríveis romances com artistas de preferência? (a minha favorita foi Arlene Dahl... e cada qual que eleja a sua ou o seu artista que foi dona (o) de seus sonhos infantis ou juvenis).
Depois, sempre nos guiamos pela imaginação, que sempre nos faz criar situações que desejamos sejam reais. E, nessa impossibilidade, apelamos para a imaginação, pois não custa sonhar.
É fácil entender que nossa imaginação pode nos levar a qualquer parte, quando e como quisermos, apenas movimentando nossa mente, que tem plena e total capacidade de criar situações, de nos fazer levitar e voar, levando-nos para onde desejamos ir. Nossa mente também comanda nossos sentimentos, que é algo que devemos saber bem controlar, e não permitir que ninguém possa faze-lo, pois eles são nossos, algo como propriedade exclusiva, eles comandam nossa vida,portanto devemos saber controlá-los.
Assim, parece que o ideal é deixar a emoção nos levar, o barquinho vida que nos leve, enfunando as velas com a brisa, até onde nossa imaginação nos levar...
Realmente crianças, a imaginação por vezes nos faz enveredar por caminhos perigosos, meio  fora da realidade, ou então nos conduz para grandes realizações, cumprindo as metas imaginadas e aneladas, e assim, tudo aquilo que fazemos, deve primeiro ser imaginado, depois, “visualizado”, e então executado.  Se obteremos resultados práticos ou não, tudo depende de como nosso imaginativo se enquadra na realidade.  Por vezes são tão fora de um contexto prático, que se tornam inexequíveis.
São resultados imaginados, que  poderão ser apenas irreais, porém, se transformados em realidade, poderão ter péssimas consequencias se forem mal executados ou mal planejados.  Então sempre será necessário “puxar” nossos sonhos  do espaço, para a terra, estudando-os bem, pois “na prática, a teoria sempre é outra...”
Precisamos saber se são sonhos apenas, ou sonhos efetivos.  Pois se efetivados, são sonhos que poderão nos trazer felicidade, ou que poderão transformar-se em pesadelo, dependendo de como soubermos trabalhar nossa imaginação. E é exatamente  nisso que está o gosto da vida,  em sua imponderabilidade, no uso que soubermos dar ao nosso livre arbítrio.
É muito válido seguir nossos impulsos, nossos sonhos, entregarmo-nos ao imaginário, mas sempre deveremos ter os pés no chão, para que ele não nos falte caso nossa imaginação tenha sido fértil demais.
Já em questões de amor, nem sempre se pode usar apenas o bom senso e o sentido real da vida, eis que a imaginação e a fantasia sempre acabam dominando, tornando os amores mais reais, à medida que a irrealidade nos leva a incríveis devaneios.
Na realidade, podemos dizer que um amor vivido com muito bom senso, dentro dos chamados limites reais, será um “amorno”, faltando-lhe o calor que vem através da imaginação, daquilo que idealizamos, do imponderável que existe no amor, e assim, podendo transportar o imaginário para o real, teremos um amor muito bem vivido. Contudo, se bloquearmos a imaginação, vivendo apenas no real, poderemos ter então o “amorno”...
Para citar um bom exemplo de imaginação, estou imaginando agora um lindo por do sol, onde, juntos, poderemos agradecer ao Amigão por termos tido UM LINDO DIA, que certamente, imaginamos repeti-lo amanhã.


 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados