HOMENS COM MEDO DE COMPROMISSO

 

Se estamos amando de verdade, se somos amados, por que fugir de um compromisso? O que impede de assumi-lo? Coisas inexplicáveis da mente humana, certos medos que atrapalham a vida.
Osculos e amplexos,
Marcial

HOMENS COM MEDO DE COMPROMISSO
Marcial Salaverry

Algo de estranho, mas que é uma coisa realmente interessante, o que ocorre com muitos homens em determinados momentos de sua vida.
Tenho visto muitas vezes, homens calejados, com boa bagagem de vida, muitas vezes, profissionais de sucesso, não saber como agir em questões tão prosaicas como essas coisas do coração.
Pessoas acostumadas a decisões rápidas para resolver negócios envolvendo milhões de dólares (em questões de negócio, é mais chic falar em dólares do que em reais), tremem nas bases quando estão diante de uma mulher, precisando resolver sobre seu próprio destino.
É realmente curioso, mas isso ocorre com muita mais regularidade do que se possa imaginar. E existem diversas razões para justificar(?) essa indecisão.
Uma delas, pode ser o fato do cidadão estar saindo de algum relacionamento tumultuado, e sentir receio de que tudo se repita. Então, embora ame a mulher em questão, teme assumir um compromisso que o faça sofrer novamente. E então sofre, porque gostaria de estar com a pessoa que ama. Seria cômico, não fosse trágico, pois o infeliz sofre por medo de sofrer... Pode?
Outra, e um tanto mais justificável, é o executivo, cujas ocupações exigem constantes viagens. Nesse caso, sua agenda sempre lotada, normalmente atrapalha qualquer tentativa de um relacionamento mais estável. Explica-se, então, que ele prefira manter apenas relações mais superficiais. Um compromisso realmente complica...
Existe, contudo, um tipo de receio, que me aparece atingir as raias do absurdo. Seria o caso do cidadão que acaba se apaixonando por uma amiga, seja recente ou  de longa data. Acontecem casos assim, e com muita frequência. Quando ele descobre que começa a gostar demais de estar com essa amiga, a ponto de querer um romance com ela, fica apavorado, e vá se entender porque, resolve fugir afastando-se dessa pessoa "perigosa"...
Nota ser correspondido. Sua amiga quer mudar de cargo. Deixar de ser amiga para ser "algo mais". Aí, chega a entrar em pânico.
Justifica-se perante o espelho, e por vezes perante amigos mais chegados, alegando temer que um relacionamento mais íntimo possa terminar com a amizade, e assim realmente, fica meio difícil argumentar com uma pessoa que tenha essa mentalidade, tão tacanha.
Fica meio ilógico supor que um relacionamento de amor possa acabar com a amizade, pois o que poderá constituir como uma base sólida para o amor, é justamente a existência dessa amizade que já os une.
Uma relação de amizade é meio caminho andado para o amor, pois já existirá uma certa cumplicidade entre ambos, já existirá um bom entendimento, uma relação "afínica", enfim. E deixar de aproveitar essa base apenas por medo de que o estreitamento das relações possa acabar com a amizade??? Vá se entender isso...
Justamente o que pode permitir que um relacionamento seja duradouro, é justamente quando entre os parceiros amorosos existe uma boa amizade.
O que realmente pode explicar tal atitude, é mesmo aquela velha história do medo de assumir uma responsabilidade. O receio de não satisfazer a parceira da maneira que ele pensa que ela deseja. Enfim, um inexplicável medo de viver um romance de amor. Medo de falhar na chamada Hora H...
Na verdade, medo de mudar de vida. Medo de tentar a felicidade. A insegurança do homem maduro de que não conseguirá corresponder às expectativas de sua candidata a companheira.
Nesse caso, o que os inseguros de plantão poderão fazer, é manter uma conversa franca e aberta, abrindo seu coração, expondo suas inseguranças, seus medos. Principalmente se já houver uma base de amizade. Aí o diálogo fica mais fácil. Mas, cadê coragem?
Reconheço que é difícil, particularmente para um homem maduro, assumir suas fraquezas, sua tibieza. Então é-lhe mais fácil a fuga. Desistir da oportunidade de uma vida diferente e feliz, apenas por medo de mudar. E continua em sua vida solitária, quando poderia ter a seu lado uma pessoa que já é sua amiga, o que facilitaria em muito o bom entendimento conjugal.
Esperando que pessoas eventualmente nessa situação possam repensar sua atitude, termino desejando que todos tenhamos UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados