UM GRANDE AMOR NÃO FINDA.

 

Existem amores tão lindamente vividos que não termina
nem mesmo com a partida dos parceiros...
Certamente prossegue na eternidade...
Conto baseado em fatos reais...
Apenas os nomes são fictícios, mas a história, não é estória...
Amores assim existem de fato...
Ósculos e amplexos,
Marcial

UM GRANDE AMOR NÃO FINDA
Marcial Salaverry

Existem amores que sobrevivem à morte. Existem amores que não suportam essa separação definitiva, que pode acontecer após uma vida de lutas e sacrifícios, mais ainda principalmente após o amor lhes ter dado forças para suportar perdas irreparáveis.

José Maria e Maria José, a história de duas pessoas simples, cansadas da luta na cidade grande, resolveram tentar a vida no interior. Arranjaram um terreno em algum lugar do interior, e lá ergueram aquela que seria sua casa, seu ninho de amor, que na realidade, era um modesto casebre, feito de barro, dentro de suas parcas posses, e que eles procurariam melhorar com o correr do tempo. Esse o sonho de sua vida.

Ambos confiavam em seu trabalho. E nessa certeza de um futuro melhor, entregaram-se ao trabalho com todas as forças que sua força de vontade exigia.

O início foi desalentador. A terra apesar de fértil, era de muito difícil trabalho para o plantio. Seu terreno era cercado por mato bravo, e tinham que tomar cuidado com os animais selvagens que sempre faziam incursões nas cercanias de sua morada, e destruíam o que com tanto  trabalho tinham plantado. Mas não se deixavam vencer pelo desanimo, e pediam aos céus forças para vencer essa luta insana, sempre contando com a ajuda de Deus para lhes dar as forças necessárias para superar tantas adversidades.

Para aumentar a tristeza, ainda viram um filho de apenas oito meses de idade, não resistir às agruras dessa vida dura, partir para o lado de Deus. Enterraram-no em cova rasa. No dia seguinte, para desespero total, viram que seus restos tinham  sido devorados por animais selvagens.

Mas nem o trabalho insano, nem o desespero dessa perda trágica lhes quebrou a coragem.  Aos poucos foram conseguindo realizar seus sonhos. Outros filhos e filhas tiveram, sem contudo jamais deixar de chorar por aquele que não conseguiram criar.

E a cada etapa superada, mais fortalecia seu amor. Mais e mais se amavam, e assim foram vivendo. Novas dificuldades, novos sustos, sempre superados. Nada poderia separa-los. Assim são os verdadeiros amores. Parece que quando as dificuldades são mais fortes, mais o amor se firma nos corações verdadeiramente enamorados, infundindo coragem para tudo enfrentar.

Foram mais de 60 anos de uma união completa e feliz. Tudo que de mal lhes aconteceu, a força desse amor inquebrantável ajudou a superar. Criaram outros filhos, sempre lhes ensinando que nada pode vencer o amor, a força de vontade, o desejo de vencer na vida. E sempre levando na memória e dentro do coração aquele menino tão tragicamente perdido.

Mas o tempo é inexorável, e sempre cobra seu tributo. E estava escrito que nada, mas nada mesmo poderia separar duas criaturas que tanto se amavam, e que tanta luta viveram juntos. A idade e uma doença insidiosa terminaram por vencer a resistência inquebrantável de  Maria José, e ela partiu, deixando José Maria mergulhado na mais profunda tristeza. A idéia de ficar sem sua Zézé desesperou o pobre Zé, e seu coração não resistiu à separação, e então, na força desse amor, no dia seguinte ao da partida dela, ele foi para sua companhia. Não resistiu à idéia de ficar sem sua amada esposa.

Continuariam sua vida, juntos na eternidade, sem dúvida. Assim estava escrito. Nada os separaria.

Possivelmente ao olharmos para o céu, veremos duas estrelas brilhando juntinhas.
Quem sabe não são Maria José e José Maria, que finalmente estão vivendo a cada dia, sempre UM LINDO DIA, coisa que o amor verdadeiro sempre propicia a cada dia da vida dos que sabem e conseguem se amar de verdade, com um amor terno e eterno, em vida vivido e que segue na eternidade...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados