SONHOS DA JUVENTUDE

 

Sonhos sonhados no início da nossa caminhada...
Podem ou não ser concretizados...
Dependerá sempre de nós, sabermos desatar os nós
que nos prendem a certos conceitos...
Osculos e amplexos,
Marcial

SONHOS  DA  JUVENTUDE
Marcial Salaverry

Algo que podemos constatar à medida que o tempo vai passando é que muitos de nossos sonhos vão ficando pelo caminho, e então chegamos à conclusão de como a juventude é povoada de sonhos, pois quando jovens, sempre projetamos mil coisas para o futuro. Cursar uma faculdade.  Seguir uma carreira. Ser artista famoso. Um grande futebolista. Uma viagem para a África. Ou então, o mais prosaico de todos, ser um simples milionário...

Sempre temos algum ídolo no qual procuramos nos espelhar, e sempre projetamos grandes coisas. Não nos contentamos com coisas pequenas. Já nos imaginamos como o top dos tops, e assim, nossos ideais são pessoas que conseguiram fama e fortuna. E, dentro da lógica, é lícito pensar que, se eles conseguiram, nós também o conseguiremos, mas vamos descobrindo que o caminho é pleno de dificuldades, que nem sempre  conseguimos superar, por vezes pelas dificuldades naturais, quando escolhemos algo que realmente desde o início já sabíamos que seria quase impossível. Isso geralmente acontece quando não fazemos um planejamento consciente, pois devemos ter em mente que o impossível sempre é mais difícil de ser conseguido.  Vamos procurar pensar melhor em nossos projetos, procurando atingir objetivos mais elevados, por etapas.  Um degrau de cada vez. A afoiteza em pular etapas pode ser prejudicial.

Mas também, muitas vezes o que nos atrapalha, é o espírito de comodismo, pois sempre ficamos esperando que alguém nos apresente, que alguém nos ajude, que alguém, enfim, faça as coisas por nós, sempre dependendo de ter o famoso QI (quem indica...).  Muitas vezes, nossos pais tem sua parcela de culpa, por nos ter facilitado demais o caminho, dando-nos já o peixe frito, ao invés de nos ensinar a pescar.

Essa política de “facilitação de caminho”, acaba se revelando nociva, pois acaba tirando o espírito de luta que sempre deve nortear nosso caminho.  Quase sempre, é adotada por comodismo, pois acaba sendo mais fácil deixar tudo pronto, do que perder tempo ensinando como as coisas são feitas.  Esse é o problema, pois quando precisar arregaçar as mangas e ir à luta, o infeliz está desmotivado, e sempre estará esperando que alguém lhe “quebre aquele galho”, e nem sempre saberá se safar de uma situação que poderia ser de fácil solução.

É muito importante saber cavar nossas trincheiras para melhor nos defender das vicissitudes da vida. É muito importante termos uma noção exata de nossas reais possibilidades, para que assim possamos definir nossos parâmetros, e assim podemos  ir em busca de nossos sonhos, após os termos planejado, e vê-los com boa possibilidade de sua realização. 

Mark Twain, nos deixou uma mensagem maravilhosa sobre esse tema.  Ei-la:
"Nunca afaste os seus sonhos. Porque se eles se forem, você continuará vivendo, mas terá deixado de existir." 

É exatamente por isso que deveremos mensurar nossos sonhos, traçando objetivos palpáveis, para não nos vermos na contingência de um dia simplesmente abandona-los.  Devemos  evitar a frustração que fatalmente ocorre, quando os vemos ir água abaixo, simplesmente porque    não soubemos analisa-los  em seu início.  Foi depois, após termos envidado nossos melhores esforços nesse sentido, que vemos nossos sonhos ruírem, e ficamos procurando culpados para um erro que foi nosso, pois nem sempre  conseguimos atinar com o real fato de termos sido nossos próprios algozes.

Quando realmente desejamos fazer alguma coisa, devemos ir até o fim nessa tentativa.  Se por um caminho não chegamos lá, há que se tentar outro, e mais outro. Aliás, parece que quanto mais difícil for a realização de nosso sonho, mais sabor ele terá.

E como é gostoso chegar-se a um objetivo, olhar para trás, e ver quantos obstáculos conseguimos superar.  Como uma crônica que li “em alguma parte”, que compara essa emoção com a mesma sensação que deve sentir o rio quando deságua no mar, e vê todas as curvas, obstáculos e cachoeiras que teve de ultrapassar para chegar lá...

O principal, é saber o que desejamos, planejar o caminho, e ter a força de vontade para superar eventuais obstáculos e, principalmente, saber saborear como vitória, cada degrau superado nessa caminhada. 

Pronto, alcançamos nossos objetivos, e agora,  que tal procurar novas metas?  Afinal, ainda estamos vivos e temos ainda muito tempo pela frente. Temos uma vida para ser vivida.

E para bem vive-la, nada melhor do que procurarmos fazer de cada dia, sempre UM LINDO DIA...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados