UMA COISA CHAMADA PACIENCIA

 

Uma vez que temos o dom da racionalidade, é interessante
aprendermos a bem usá-la, evitando certas situações
constrangedoras, que exigem uma dose extra de paciencia...
Osculos e amplexos,
Marcial

UMA COISA CHAMADA PACIENCIA
Marcial Salaverry
 
Para quem gosta de viver em paz, sabe que algo que sempre precisamos exercitar é a paciência, e é preciso entender que não estou falando daquele joguinho que em tempos idos se jogava com baralho, e hoje se joga no computador, na verdade, quero me referir à paciência que precisamos demonstrar cada vez que algo nos contraria, e que é um dos sinônimos de auto controle...
É preciso considerar que sempre temos que enfrentar certas situações com as quais não concordamos inteiramente, mas por razões quaisquer, precisamos tolerá-las, mas isso é algo que incomoda muito, com certeza, e como incomoda...
Um excelente teste de paciência atualmente está sendo aturar os noticiários de televisão, que só falam do que poderá acontecer com Governo, como vai ficar a situação dos aposentados, e claro, do povo em geral, ou então se o dólar vai continuar subindo, ou quais serão as próximas manifestações, se alguém ainda pensa em trabalhar. Enfim, temos que ter paciência, pois é o assunto do momento, embora se saiba que discussões nada vão resolver. As coisas serão feitas quando tiverem que acontecer, e sabemos que teremos que aceitar, até certos limites.
Assim sendo, geralmente temos que por a prova nossa paciência no corriqueiro, no dia a dia. Sempre temos que enfrentar situações em que ela é posta à prova de uma maneira cabal, eis que são tantos os problemas eventuais que podem surgir...
Seja por circunstâncias de momento, como engarrafamentos de trânsito, o elevador enguiçado quando precisamos subir 14 andares, ou uma queda que nos impossibilite de fazer o que desejamos e precisamos fazer, ou o "apagão" na hora do banho quando estamos ensaboados, ou então quando vai ser batido "aquele" pênalti, ou o banheiro ocupado quando estamos enfrentando um momento crítico, enfim, seja por circunstâncias definitivas, tais como a corrupção que age em todos os níveis, afetando a situação econômica do País, e claro, a nossa também, e ainda há que se considerar  a impaciência de eventuais credores, que sempre fazem questão de receber o que lhe é devido...
Nesses casos, temos que ter aquela dose extra de paciência, pois desesperar-se nada vai resolver. Nossa ira não vai solucionar o problema. Poderá agravá-lo, pelo contrário. Então, mais vale respirar fundo e tentar controlar os ânimos. Existem consequências que podem piorar a situação, se não mantivermos o equilíbrio.
Também existe outra e terrível fonte de problemas. São pessoas que, ou por não terem a mesma dose de paciência, ou por maldade mesmo, tomam atitudes que nos são prejudiciais, ou que nos chateiam em demasia. A esse propósito e quase que por comunhão de idéias, li uma  mensagem do Dalai Lama, que aborda muito bem o assuto, vejam se não tenho razão:
"Olhe para a pessoa que lhe causa aborrecimento e tire proveito da oportunidade para controlar a própria ira e desenvolver a compaixão. Entretanto, se o aborrecimento for muito grande ou se você achar a pessoa tão desagradável que seja impossível aguentá-la, talvez seja melhor sair correndo! (Dalai Lama)"
Realmente vem bem a propósito. Quando estamos sendo aborrecidos ou atrapalhados por alguém, precisamos testar aquele limite da paciência, que costumo definir como um "excelente teste para verificação exata da elasticidade do tecido testicular", e assim poderemos descobrir quais os exatos limites de nossa paciência.  Para não sermos grosseiros, ou mesmo para não descermos ao mesmo nível da pessoa que nos perturba, é exigível usarmos das derradeiras reservas de tolerância, controlando-nos e procurando analisar o porque de certas atitudes, e assim, por vezes somos obrigados a repensar nossas atitudes, procurando saber onde perdemos o fio da meada, onde estaria a razão de nosso desafeto. Sempre que há uma diferença a ser acertada, é bom analisar se realmente o erro não é nosso. Sempre é um exercício de paciência, tentar mostrar a essa pessoa que ela não está com a razão.
Se alguém está exasperado, alguém precisará tentar controlar-se para que não vire cena de pastelão. Certas atitudes radicais sempre devem ser evitadas. Ou não,  porque às vezes não existe alternativa, e temos que "chamar a várzea"... Todavia, ao repararmos que a coisa está começando a degringolar, é hora do sumiço a que nosso querido Dalai aludiu acima. É bem mais prático fazer-se uma retirada estratégica do que insistir numa discussão que começa a tomar rumos perigosos.
Possivelmente mais tarde, de cabeça fria, se as pessoas forem inteligentes, tudo poderá ser acertado. Ou não. Mas sem brigas e discussões inúteis. E muitas vezes o silêncio é a melhor resposta para insultos... Brigar... pra que? E haja paciência, esperando que a paciência aja...
Contando com a paciência de vocês, quero desejar UM LINDO DIA.

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados