AS BELAS PRAIAS DE SÃO LUIZ - MA

 

AS BELAS PRAIAS DE SÃO LUIZ
Marcial Salaverry
Texto escrito em 12/2003

Para falar das praias de São Luiz,  há que se fazer uma volta ao passado, pois as modificações que ocorreram de 10, 12 anos pra cá foi algo de espantoso.  Praias que eram quase selvagens, desde a Ponta do Farol até Praia do Olho d'Água, sem praticamente nada além de dunas de areia e mangue, transformaram-se em avenidas repletas de altos edifícios e hotéis de categoria internacional.
Onde havia apenas areia e mato, existe a Avenida Litorânea, com quiosques muito bem montados, onde existe de tudo, desde artesanato até refeições self-service. Para quem ficou muito tempo sem visitar, é uma surpresa atrás da outra.
A Natureza pode ter sido prejudicada, mas está realmente uma beleza, que vale a pena ser visitada, principalmente o trecho na praia do Calhau, onde existe até um anfiteatro para espetáculos artísticos.  Sentar-se nos bancos dessa praça, e contemplar a beleza do mar, e o por ou nascer do sol, é sempre um espetáculo maravilhoso. E ao cair da noite, com a lua e as estrelas iniciando sua vigília noturna, sempre agrada qualquer paladar visual.
Na realidade, para  descrever as praias de São Luiz, podemos dizer que são uma só, com diversos nomes, pois desde a Ponta da Areia até Araçagi, passando por Calhau, Caolho (chama-se caolho, por ser o trecho entre Calhau e Olho d'Água), Olho d'Água e Araçagi, pode ser percorrida numa gostosa caminhada de 20 quilômetros, desde que se tenha vontade de andar, e que a maré esteja baixa, porque na maré alta, é impossível andar pela faixa de areia.
Há que se ressaltar, que a diferença entre as marés, chega a 9 metros. Então a praia, que na baixa tem uma extensão de mais de 2 quilômetros, fica reduzida a uma pequena faixa, e em muitos trechos, o mar chega até os contrafortes da Avenida Litorânea, já planejada prevendo a subida da maré, não havendo a possibilidade do mar chegar até a avenida.  É muito lindo o espetáculo do mar batendo nas pedras, enquanto estamos confortavelmente sentados, degustando algumas especialidades culinárias locais, como arroz de cuxá, sarnambi, sururu, e outras delicias, como sucos de frutas locais, como cupuaçu, cajá, pitomba, pitanga.  Enfim, vale a pena o sacrifício...
A praia em si, é muito irregular, pois apresenta trechos apenas de areia, sempre entremeados com algumas "ilhas" de pedras, que são um excelente esconderijo para siris, pescados com um método bem peculiar, pois basta mexer nessas tocas naturais, assustar os bichinhos para que eles saiam, e com um certeiro pontapé deixá-los meio tontos, e assim "colhê-los". Sem dúvida, um método bem científico.  Esses trechos de pedras, quando encobertos pelo mar, são muito perigosos, pois as pedras ficam muito escorregadias, e uma queda aqui pode não ser muito saudável, razão pela qual sempre é melhor esperar a maré baixar para se aventurar numa caminhada.  Nunca se sabe onde as pedras estão.
A Avenida Litorânea termina no Olho d'Água. Para chegar-se ao Araçagi, pode-se ir pela praia,
quando na preamar, caso contrário, é necessário dar uma volta para ultrapassar o morro, pois este trecho é simplesmente intransponível quando da maré alta.  Araçagi ainda conserva um pouco de seu encanto natural, meio agreste, que fatalmente será quebrado quando a avenida for aberta neste trecho.
Existem outras praias mais afastadas, como Raposo, Panacoatira, São José do Ribamar, Morros, que merecem um capitulo a parte.  Estas ainda não foram atingidas pelo progresso, e se não apresentam a beleza arquitetônica da nova São Luiz, ainda conservam  quase intactas as maravilhas com que a Natureza nos presenteia.
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados