ENCONTRO ENTRE GERAÇÕES

 

Muito já se falou sobre romances entre pessoas de gerações diferentes. Para muita gente, um absurdo, para outros, coisa normal.

O interessante no caso, é que no consenso geral chega a ser encarado com uma certa normalidade o fato de um homem maduro namorar uma garota muito mais jovem, enquanto que o outro lado da moeda, ou seja, o romance entre uma mulher madura e um rapaz mais jovem, já é visto quase como um absurdo. Por que essa diferença de julgamento? Por preconceito?

No meu ponto de vista, tudo deve ser encarado da mesma maneira, devendo ser encarado de uma maneira global, ou seja, falemos de "romance entre pessoas de gerações diferentes", sem identificação de sexos.

Ao surgir uma atração "inter-geracional", deve-se ter presente uma coisa muito séria, qual seja, o preconceito da Sociedade, que sempre é uma coisa muito séria . Esse fator vai exigir de ambos os parceiros muito equilíbrio, e principalmente, ambos tem que estar bem seguros de seus sentimentos, pois os comentários maldosos sempre irão surgir. Isso sem falar na reação dos familiares, isso se a parte madura tiver filhos, que dificilmente aceitam ver seu pai ou sua mãe envolvido com alguém de sua idade, ou até mais jovem.

Além dos problemas causados por esse preconceito, há que se analisar ainda as diferenças físicas. Senão vejamos, é lógico que a parte madura não poderá ter o mesmo "pique" que o parceiro (a), que deverá ter muita compreensão para tal detalhe, aceitando as limitações que a idade sempre impõe.

Pergunta-se então o que pode unir casais assim heterogêneos. É fácil de se responder.

É uma busca recíproca. Existem jovens que, por diversos motivos, preferem a companhia e a parceria com pessoas mais maduras, buscando absorver a experiência de vida, os conhecimentos que as pessoas de mais idade lhes podem proporcionar. É muito válida essa busca, e serve como um enriquecimento enorme para esses jovens.

Por outro lado, é a famosa "busca da juventude perdida". Pessoas de mais idade, mas ainda com muita vitalidade, se recusam a admitir serem "velhos". Procuram, então, na parceria com jovens, dar um novo sentido a suas vidas. É então uma troca de "favores".

Um lado dá a vivência, a experiência, e o outro, a vitalidade, a energia da juventude.

E isso, feito com equilíbrio, é muito válido.

Apenas desejo ressaltar a necessidade de muito equilíbrio de ambas as partes, pois o lado mais "experiente" (fica chato falar velho), vai ver que suas limitações físicas vão rapidamente aumentando, ao passo que o outro lado vai chegando ao seu apogeu. E é aí que mora o perigo dessas uniões heterogêneas etariamente falando.

Contudo, o argumento principal, e muito válido por sinal, que já ouvi de casais nessas condições, é que eles podem passar por cima dos preconceitos por se amarem. Quanto a preocupações com o futuro, existe um ponto que tem de ser levado em conta: o importante é viver o presente, e aproveitar o que de bom pudermos viver agora.

Irrefutável esse argumento. Realmente, se podemos ser felizes hoje...sejamos. Se outros criticam, o problema é de quem critica.

Definitivamente, se duas pessoas se amam e se querem, não pode existir preconceitos, sejam etários ou mesmo raciais que possam separá-los, pois para que uma união seja gostosa e feliz, independendo de diferenças de idade, cor, sexo ou religião, o importante é que exista uma grande dose de AMOR, RESPEITO E CARINHO. Aí, tudo bem...

Quanto à durabilidade dessa união... falar-se o que? Que dure enquanto durar, como todas as uniões aliás. Não existe prazo de validade que garanta o tempo que vai durar uma união entre duas pessoas. Mas enquanto durar, que seja vivida, seja em que circunstâncias for. O amor sempre deve ser vivido.

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados