REGRAS DO BEM VIVER

 

Relacionamentos humanos sempre são complicados. Entre os animais é mais fácil, porque eles sabem como se comunicar. Já conosco a coisa é mais complicada.  Palavras que são mal interpretadas geram desentendimentos.  Coisas mal explicadas geram confusão. E um bom entendimento sempre se torna difícil, pelas diferentes maneiras de se interpretar a mesma coisa.


Existem algumas regras, se é que assim podem ser chamadas, que podem minimizar os problemas, o difícil é sua observância.  E ainda temos que pensar que muitas vezes temos que buscar entendimentos que facilitem nossa luta pela subsistência.  E aí, a coisa se complica.

Para ser ouvido, fale.  Nem sempre isso é possível, porque por vezes nossos interlocutores se julgam donos da verdade, e mal permitem que expliquemos certos fatos. Isso nos aborrece, e acabamos agredindo a quem queremos bem.  Então, o que deve haver é um diálogo.  Devemos ouvir primeiro, e falar depois. Isso sempre facilitará nossa argumentação.  Saber ouvir é muito importante.

Para ser compreendido, exponha claramente as suas idéias sem jamais abrir mão daquelas que julga fundamentais apenas para que os outros o aceitem. Claro que não é bem por aí, pois muitas vezes nossas idéias não podem ser totalmente aceitas, e devemos saber ouvir o outro lado, e ceder nos pontos que se revelarem conflitantes, e que a razão não esteja conosco.  Não podemos nos esquecer de que tudo na vida tem dois lados, tem duas maneiras de interpretação, e nem sempre a nossa, só por ser nossa, é a exata.

Acima de tudo,  busque o prazer antes do sucesso, a auto realização antes do dinheiro, fazer bem feito  antes de pensar em obter qualquer recompensa. Tudo bem... Teoricamente está correto, mas existe algo chamado sobrevivência, e muitas vezes temos que pensar nesse outra lado da coisa, e, ao prazer de fazer bem feito, temos que ver a funcionalidade, pois sempre será preciso pensar no retorno que poderemos ter.  Salvo se nos estivermos dedicando a algo apenas por diletantismo.  Mas sempre é necessário pensar-se igualmente no dinheiro que essa auto realização poderá gerar.  Afinal, também temos que satisfazer o cruel vício da alimentação.

Nenhum reconhecimento externo vai substituir a alegria de poder ser você mesmo: "status" é comprar coisas que você não quer com o dinheiro que você não tem,  a fim de mostrar para gente de que você não gosta, uma pessoa que você não é.  Sem dúvida alguma, quando podemos ser e agir exatamente como queremos é algo de muito bom.  Procurar aparentar algo que não somos, obviamente é incrivelmente frustrante.  Uma das atitudes que mais violenta a personalidade é o tal de “manter as aparências”.  Não fazer determinadas coisas “porque não fica bem”... É o famoso “engolir sapos”, porque precisamos ser assim. Não é muito agradável, além de incrivelmente indigesto...

Na verdade, nada tem muita  graça se não for bom para o corpo, leve para o espírito e também agradável para o  coração, pois não nos sentiremos bem fazendo coisas forçadas.  Dentro do possível, devemos procurar ser autênticos, desde que nossa autenticidade não seja agressiva.

Da mesma maneira que não gostamos de “engolir sapos”, não deveremos querer que outros engulam os nossos.  Ponderação e bom senso, sempre devem imperar.

Para conseguir as coisas, devemos ter paciência e determinação, pois nem sempre  o êxito virá logo da primeira vez, portanto deveremos persistir, tentando atingir nossos objetivos. 

Se um caminho se fechou, poderemos tentar abrir outros, o que não se pode é entregar os pontos antes os primeiros obstáculos.

Mas, se percebermos que já se  fez  tudo o que podia ser feito,  ou até mesmo um pouco além,  há que se mudar de alvo para não se tornar, em vez de um vitorioso, apenas mais um teimoso.  Persistir em algo viável é uma coisa.  Insistir teimosamente em algo que se revela impraticável, não é sinal de bom senso.

Para podermos recomeçar sempre,  devemos nos perdoar pelos fracassos e erros que talvez tenhamos cometido, devemos aprender com eles e, a partir deles, programar as próximas ações.

Nem sempre conseguimos tudo em curto prazo. Há que saber esperar a oportunidade.

Nem tampouco devemos ficar esperando que os recursos todos nos venham às mãos, deveremos saber procurá-los, temos que ir à luta, se quisermos conseguir algo nesta vida.

Para nos  mantermos motivados, precisamos sonhar.  Com os pés no chão, mas sempre deveremos sonhar um pouco, procurar objetivos, alcançar metas.

Para conseguirmos realizar, devemos planejar, pensando grande e fazendo pequeno, um pouco a cada dia e todos os dias um pouco, porque são as pequenas gotas d'água que fazem todo grande oceano. Essa é o pensamento correto, a passo e passo, devagar e sempre.

De imediato, temos um grande objetivo, que é ter UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados