REAPRENDENDO A AMAR

 

Existem ocasiões na nossa vida, em que paramos para pensar, e chegamos a conclusão de que não vale mais a pena pensar em amor, em carinho, em nada disso.
Afinal, são tantas as porradas que vida nos aplica, que ficamos realmente descrentes de tudo.
São amores que falham. Falta de compreensão. Falta de afeto. Falta de união e companheirismo.
São amizades que se revelam inimizades. Começamos a perder a fé em tudo e em todos. Chegamos em uma encruzilhada.
Desiludidos com a vida, entregamo-nos furiosamente a um trabalho, a uma ocupação, a algo que nos preencha o tempo, e não nos deixe sobrar tempo para pensar... para sofrer.
De repente, surge alguém em nossa vida. Vindo do nada. Cai em nosso colo. Revela seu amor. Um amor estranho, feito mais de compreensão e de espírito que de matéria.
A princípio não entendemos. Que coisa maluca é essa? Que raio de amor é esse?
Devido às pauladas anteriores, não aceitamos essa situação. Temos medo de sofrer.
Será que pode existir um amor assim? Despojado? Desinteressado? Que nada exige, mas que só oferece carinho e paz interior. Desconfiamos das intenções, o que é uma reação normal. Não podemos sequer cogitar da idéia de entrar em uma canoa furada dessas. Se essa pessoa é comprometida... a coisa se complica mais ainda.
Mas algo começa a mudar em nosso interior. Começamos a sentir que podemos ser amados. Que existe alguém que nos quer bem, embora não possa nos oferecer uma vida em comum.
Descobrimos o mais importante. Essa pessoa revolucionou nosso interior. O coração antes murcho, começou a bater de novo. Os sentimentos antes sufocados começaram a aflorar novamente. Podemos ser amados. E, o mais importante, podemos amar.
Esse amor estranho, incompreensível, revelou-se como um "despertador de sentimentos".
Redescobrimos a capacidade de amar. Readquirimos a capacidade de enxergar as pessoas com outros olhos.
Assim, quando surgir uma outra pessoa, poderemos recebê-la de coração aberto. O coração, já calejado, saberá analisar melhor a situação. Não se entregará de graça, como em outras vezes.
E o principal, conseguimos descobrir o que era aquele amor tão estranho e diferente.
Chama-se Amizade, coisa que poucas pessoas podem e sabem oferecer. Uma amizade real e sincera opera milagres, nos tira do fundo do poço, e consegue nos devolver à vida.
Talvez essa pessoa nos ame de fato. Circunstâncias impedem-na de dedicar o amor carnal, o amor entre homem e mulher. Nem por isso contudo, deixou de nos demonstrar esse amor da maneira mais linda que existe, através da amizade. Nos dando a mão numa hora difícil de nossa vida. Nos dando apoio quando estávamos quase desistindo de tudo.
Agora podemos dizer que estamos prontos para receber um outro alguém que também nos ame, e possa nos oferecer uma vida em comum. Principalmente porque sabemos que temos aquele amor sincero e desinteressado, que só deseja uma coisa. Que sejamos felizes. Não sendo possível ao lado dele, que o sejamos ao lado de outro alguém que também nos ame.
Em nome dessa amizade, temos que procurar escolher bem, pois sabemos que, sendo felizes, também o faremos feliz.
Realmente, o amor é um sentimento complicado, principalmente entre homem e mulher.
O amor não é feito só de sexo, de romance. O amor é uma mescla de sentimentos que a maioria das pessoas ainda não sabe definir. Entendem o amor como sendo aquele sentimento produzido pelo desejo. Esquecem-se do afeto. Acham que não pode existir amizade entre um homem e uma mulher. Ledo engano. Homens e mulheres são pessoas, e como tal podem sentir toda a gama de sentimentos, e até mesmo essa coisa linda que se chama AMIZADE, e que opera milagres em nossa vida.

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados