EXPLICANDO A PERSONALIDADE

 

 

EXPLICANDO A PERSONALIDADE
Marcial Salaverry
 Personalidade, eis uma das coisas mais amoldáveis que existe.
 
Realmente, são poucas as pessoas que conseguem manter sua personalidade em todas as circunstâncias, porque a vida está sempre exigindo um tremendo "jogo de cintura" para que possamos sobreviver.  Existem casos em que precisamos adaptar nossa personalidade ao mundo que nos rodeia, pois é um pouco demais de presunção, querer que o mundo se adapte a nós.  Nós é que temos que nos adaptar, pois vivemos numa sociedade.
Agora, o que tem que se adaptar é o exterior da personalidade, são nossas atitudes que podem e devem sofrer "adaptações", porém o âmago da coisa, nosso interior deve ser mantido, salvo se obtivermos provas cabais de que estamos errados.  Aí, temos que repensar nossas idéias.  Chegando à conclusão de que realmente estamos errados, o sábio é modificar tudo, nem que isso represente uma guinada de 180 graus em nossa vida.
Exemplificando, em minha juventude, fui líder estudantil, ultra-esquerdista, cheio de idéias marxistas na cabeça, organizei muitas greves estudantis. De repente, veio um estalo.  Eu era apenas uma peça da máquina comunista, colocando meu rabo a prêmio, defendendo idéias alienadas. Quando reparei que os "chefetes" do movimento discutiam a burguesia, tomando uísque importado, cheguei à conclusão de que na prática a teoria é outra.  Vi que estava seguindo idéias e lideranças erradas, e pulei fora.  Fui radical em minha mudança, e me transformei num acérrimo anticomunista, convencido da que o que eles apregoavam era muito diferente das atitudes que eles tomavam na vida particular.
Agora, no que se refere ao íntimo, àquilo que todos carregamos num cantinho do cérebro, ou do coração, como queiram, penso que devemos defender com unhas e dentes.  Em nossos pensamentos íntimos, ninguém deve mandar, eles são nossos, só nossos.  Só posso sentir pena de pessoas que se deixam comandar por outras, que abdicam de tudo, só para contentar outrem.  Ainda continuo pensando que você mudar suas atitudes, sua personalidade, é válido, mas sòmente quando VOCÊ mesmo chegar a essa conclusão, e não porque outras pessoas, sejá lá quem for, assim o determine.
Desculpem se fui um pouco radical, ou se pisei nos calos de alguém (não pode ser um pisão muito doído, pois são só 95 quilos de peso...), mas é assim que penso sobre o assunto, ou seja, não devemos viver para contentar os outros, mas sim a nós mesmos.  Amemo-nos e respeitemo-nos, para que também possamos amar e respeitar os que nos cercam, e sermos por eles igualmente amados e respeitados. Tenho dito.
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados